ROZEEMARY | Distance Demos

Então… A gente se conheceu no Instagram entre uma hashtag e outra de ukulele. Eu sempre gostei muito de aprender inglês e sempre quis ser fluente. Pedi para ele ficar conversando comigo e em troca eu daria umas dicas de português. Virou amizade fácil e trocar pontos de vistas e experiências foi virando cada vez mais prazeroso, até chegar o momento em que os dois tinham o coração disponível para algo mais. Sim, além de ter virado romance, virou música e depois de pensar em vários nomes, decidimos que seríamos ROZEEMARY. Rosemary é alecrim em inglês (pois é). E como isso não é só algo sobre mim, mas sobre nós, a escolha do Z E E é algo como Zach & Elisa.

Temos um Instagram em desenvolvimento (aqui) e um canal recém nascido no YouTube (aqui). Também temos uma música autoral, que eu escrevi tentando colocar um pouco do que eu sentia no papel. E que é a música que a gente toca no vídeo abaixo. Espero que gostem 

And may this rosemary bloom
• • •

Follow Me:
YouTube | Instagram | Spotify

Deixe seu comentário

Advertisements

BEM VINDOS AO CANAL ♡

O vídeo de hoje foi para apresentar o canal e dar boas vindas pra vocês. Fazia tempo que eu queria fazer um vídeo assim pra saudar os novos assinantes, entreter os antigos e, finalmente, começar as atividades de 2018 no canal. Talvez tenha alguns probleminhas no áudio? Talvez sim. Mas isso a gente vai melhorando com o tempo, né mesmo?
Este ano, pelo menos por enquanto (ou até eu mudar de ideia), teremos um vídeo por semana, sempre aos sábados às 11h. Tenho pensado em melhorar os vídeos e sair um pouco daquele formato que estava acostumada (de gravar no quarto, com meu velho cenário). E quero fazer só um por semana pra conseguir otimizar o meu tempo.

• The Boobs Song – Priscilla Ahn (ukulele e kazoo cover) •

Existem várias outras coisas que eu quero e preciso fazer e sinto que com a preocupação de publicar dois vídeos semanais eu estava me enrolando. Sim, tem quem faça dezenas de tarefas e continue plenamente são no final de todas elas, mas não é o meu caso. Ainda tô aprendendo a me organizar e a ser realmente produtiva, então preciso tentar mudar as coisas na minha rotina pra ver se funcionam. Então, por enquanto vai ser assim.
Espero que gostem do vídeo! Se gostarem, por favor, comentem e » inscrevam-se no canal « ♡
• • •
» Follow me «

SpotifyInstagram | YouTube

Deixe seu comentário

Agora sim, feliz 2018 ♡

O ukulele lindão na foto é um Ghost Akahai da » Lojalele «
Eu percebi nas últimas semanas o quanto as pessoas consideraram 2017 um ano esquisito, em que quase todo mundo meio que se deu mal (ou pelo menos não se deu super bem). Particularmente falando, 2017 foi um ano pra lá de ok pra mim. Voltei a ter contato com uma parte adormecida de mim, toquei ukulele à beça, minha família de ukuleles cresceu em três novos integrantes, participei de uma audição pela primeira vez na vida, comecei a gravar o meu primeiro EP, lancei meu primeiro single e vou ser titia.
Por outro lado eu tive um número considerável de problemas de saúde em 2017 que prefiro nem comentar. Mas fora isso, eu juro, foi um ano muito legal. Só dezembro que foi bem nada a ver. Fiquei mal humorada do início ao fim e passei a virada do ano com dor de ouvido. Dezembro me frustrou especialmente por ser o mês do meu aniversário e eu fico esperando que o mundo seja lindo na época do natal e, vamos combinar que, quase nunca é o que eu imagino, mas sobrevivi.
Das coisas que dezembro me proporcionou, uma delas foi ficar temporariamente sem o meu laptop. Eu tinha planejado uma série especial de vídeos e posts pra comemorar o aniversário do blog, o meu aniversário, o Natal e acabei sem poder usar por semanas até finalmente conseguir levar na manutenção. Depois de setenta e duas idas e vindas, finalmente o laptop tá funcionando, tudo instalado bonitinho e eu passando horas por dia sentada na frente dele pra deixar as coisas do jeito que eu quero e do jeito que posso. Ah, e eu não sei usar o Adobe Premiere, então os vídeos vão demorar um pouco mais pra sair, porque eu realmente quero aprender a usar.
Mas agora falando sério e parando de enrolar esse tanto, tenho boas expectativas sobre 2018. Não porque esteja jogando tudo nas costas do ano e do Universo, mas porque me sinto mais focada e impelida a fazer acontecer, mesmo que às vezes as coisas não se mostrem tão favoráveis. Acredito firmemente que tudo o que a gente pode fazer é a nossa parte. E a nossa parte é tudo aquilo que está ao nosso alcance. Sempre existe alguma coisa que pode ser feita agora. E nas últimas semanas eu me lembrei que a melhor maneira da gente evitar encher a cabeça de besteira é se ocupar. Seja fazendo algo pra melhorar ou facilitar o nosso dia a dia, seja algo que vai deixar a gente mais perto do que a gente sonha ou seja algo besta, só pra distrair. Manter a mente ocupada é maravilhoso. E é a melhor forma da gente descobrir o que não está fazendo e o que mais pode fazer.
Dito isso, seria ótimo se gente lembrasse mais vezes de arregaçar as mangas e fazer o que precisa, e de elogiar as pessoas, as músicas, os filmes ou qualquer outra coisa que a gente gosta em lugar de reclamar de tudo o tempo todo. Eu acredito que tem muita coisa boa pra acontecer, porque eu quero fazer muita coisa boa. Falei isso na virada do ano passado e é um eterno clichê, mas é verdade: nada vai mudar sem a gente mudar.
Se é arriscar que a gente precisa, então vamos lá. Agora sim, feliz 2018 ♡
• • •
» Follow me «

SpotifyInstagram | YouTube

Deixe seu comentário

Show do Rouge com a galera da escola

Começou quando eu soube que as meninas se reuniriam pra um show no Rio de Janeiro. Desconfiei e depois de conferir 732 links diferentes, eu dei uma leve surtada e gravei um cover de Não Dá Pra Resistir pra poder compartilhar minha empolgação de alguma maneira.
Quando elas o Rouge lá do começo, eu era bem pirralha e nem teria cogitado ir a um show porque minha vibe era maioritariamente Sandy & Junior naquela época. Mas o que eu dancei de Ragatanga com minhas então amigas não é algo possível de ser contado. Até lembro que a primeira vez que cantei pra um monte de gente (a minha turma numa aula de artes cênicas) foi uma música do segundo álbum C’est La Vie, a música se chama Eu Quero Fugir (é uma versão da música Runaway da banda The Corrs).
Chegou o dia da venda dos ingressos. E eu, esperta toda vida, só soube quando todos os ingressos pro primeiro dia de show já tinham esgotado. Mas fiquei tranquila porque a minha vontade de ir era tão genuína que eu sabia que eu ganharia alguma promoção de rádio ou sei lá. Eu ia dar um jeito de estar lá, por todos os bons momentos da minha infância.
Nem duas horas depois disso e eu me surpreendo com um grupo no Messenger e a seguinte mensagem: 
“Se arrasei? Arrasei muito! 
INGRESSOS PARA O SHOW EXTRA COMPRADOOOS!
(…) Tenho para todas vocês
Comprei sem saber se vocês iriam mesmo RISOS”
Pois bem, um amigo do ensino fundamental (na foto abaixo) que eu não via desde aquela época (conta aí uns dez anos pelo menos), comprou ingressos pra mim e pras meninas que a gente andava na escola! É claro que ele e as meninas mantiveram contato durante esses anos (eu que sempre fui mais afastada – geograficamente principalmente). Imaginem uma explosão de felicidade, nostalgia, animação e surpresa (a LDA funcionando lindamente – não sei por que ainda me surpreendo, mas deixa assim).

Eu, Cynthia, Daniela, Vinícius e o Meme do Dia que era fala padrão da Monique (que encontrou com a gente já no Vivo Rio)

Confesso que interações sociais (ainda mais com uma galera que eu já perdi o costume) me deixam deconforável, mas quando encontrei com as meninas e elas começaram a falar, foi como se tudo fosse exatamente a mesma coisa de antes. Fiquei sabendo mais delas e elas de mim e foi um prazer enorme conhecer a casa e a vida do Vinícius!
O show foi demais e ouvir aquelas músicas que fizeram parte de tantos momentos bons foi incrível! E eu fiquei com o coração quentinho percebendo a preocupação mútua do pessoal em saber se todo mundo tava curtindo ou enxergando bem (ainda mais eu que sou nanica). E dizer o que mais? Eu já sou super fã de ir a shows porque sempre saio de lá com ainda mais certeza de que música é pra mim e pra minha vida!
Fica aqui o agradecimento a essas pessoas que eu não via há muito tempo e sobre as quais eu paguei a língua ao desdenhar do passado. Obrigada por me fazerem perceber que eu tava errada! ♡
P.S.¹: Um beijo pra Nathasha, que não pode ir ao show com a gente, mas sempre foi parte das biongueiras.
P.S.²: Quase não falei do show propriamente, mas se tiverem alguma pergunta, qualquer coisa, fiquem à vontade pra perguntar que eu respondo tranquilamente!
• • •
Me acompanhe nas redes sociais:
Twitter | Instagram | Facebook

Comente! 

MÚSICAS AUTORAIS | ESPECIAL 5 MIL INSCRITOS ♡

Reapareceu a margarida. No caso, eu mesma, Elisa Alecrin. Nem vou mais justificar meus sumiços que isso já ficou meio sem vergonha da minha parte, mas estou aqui. E vim trazer os vídeos do Especial de 5 mil inscritos do meu canal! Esse especial é superimportante pra mim porque foi a meta que eu estabeleci pra mim mesma até a metade deste ano de 2017. Meu canal cresceu loucamente nos últimos meses e eu tenho muito a agradecer a muita gente, e esse especial foi a minha forma de fazer isso.
Os vídeos rolaram na semana passada. Foram cinco no total e foram ao ar do sábado (12/08) até a quarta-feira (16/08). As músicas desse especial foram compostas baseadas em textos aqui do blog (no final do post eu vou deixar os links para esses textos). Foi divertido e, ao mesmo tempo, muito custoso de fazer porque eu estava saindo de umas semanas muito arrastadas, então ter ânimo pra fazer os vídeos foi um pouco difícil, mas eu consegui! WE ARE THE CHAMPIONS, MY FRIEND…
 
No mais, é isso aí mesmo! A minha favorita é “Ficou Pelo Caminho”, mas tenho carinho por todas as outras também! Espero que gostem/tenham gostado tanto quanto eu!
Links para os textos que inspiraram as músicas:
• • •
Me acompanhe nas redes sociais:
Twitter | Instagram | Facebook

Comente! 

CARNAVAL 2017

Foi dada a largada para o carnaval e eu, como não sou boba nem nada, já garanti meu especial de carnaval lá no canal pra poder aproveitar melhor os meus dias de carnaval sossegada e não atolada de trabalho. Fazia semanas que estava me preparando, planejando e idealizando o especial e agora ele está todo no canal pra vocês curtirem nesses dias. Fiz uma playlist só com os vídeos de carnaval pra colocar neste post.
Foram três musicais e dois vídeos tipo tutorial que eu produzi com muito carinho e dedicação. E, se você mora no Rio e entende das gambiarras de gravar vídeo amadoramente, vai entender que realmente tem que rolar uma dedicação bem grande pra arriscar gravar nesse calor que tá fazendo. Fiquei com muito bigodinho de suor e maquiagem derretendo, mas deu tudo certo. O resultado de todos os vídeos vocês podem conferir a seguir:




Agora vou tirar uns dias de folga, tentar dar check na minha lista de carnaval e a programação volta ao normal a partir do sábado que vem, quando já vai rolar vídeo novo no canal, tá bem? Se inscrevam! ♡

• • •
Follow Me:
YouTube | Instagram | Spotify

Deixe seu comentário

7 crenças para abandonar em 2017

Photo by Kelly Jean on Unsplash

Ainda dá tempo de dar dicas para o ano de 2017? Estamos só no segundo mês ainda, mas parece que já passou um tempão. Aqui neste post estão crenças às quais a gente muitas vezes e agarra e precisa soltar. Vem comigo:
 

ACREDITAR QUE ALGUÉM VAI MUDAR POR VOCÊ

Ninguém muda em favor de outra pessoa. Não de verdade. Não sem entender que precisa ou que quer isso. E ninguém tem que mudar por causa da gente, vamos combinar. Conviver com pessoas é um negócio difícil demais, mas é muito ruim não conseguir se exercer porque tem alguém cobrando mudança da gente. Não sei vocês, mas eu detesto quando ficam apontando erros em mim ou expressando desagrado o tempo todo. Parece que o que a gente é não tá bom nunca e, vamos combinar, ninguém vive só de defeitos. Se você não pode amar as pessoas pelo que elas são, deixe-as em paz e não tente torná-las aquilo que você acha que elas precisam ser pra você gostar delas.
 
ACREDITAR QUE AS SOLUÇÕES E RESULTADOS CAEM DO CÉU
Tem um bocado de coisas implícitas neste item. Aqui eu posso encaixar as dietas que a galera se prometeu no ano novo e só cumpre duas vezes na semana, os namoros que esperam que engatem stalkeando o perfil do crush sem nunca puxar assunto e o dinheiro que se quer ganhar na loteria sem nunca jogar. Acho que deu pra entender o que eu quero dizer, né? Não adianta olhar pro céu com muita fé e pouca luta. Se você quer alguma coisa, faça alguma coisa.
ACREDITAR QUE AS PESSOAS TERÃO AS MESMAS ATITUDES QUE VOCÊ TERIA
O mundo seria lindo trabalhado do nosso ponto de vista, mas a realidade não é tão fofinha e, infelizmente, não dá pra esperar empatia e simpatia de todo mundo. Muitas vezes a gente vai ser e fazer coisas que os outros não seriam ou fariam por nós. E o mundo não vai acabar por causa disso. Continuemos a fazer a nossa parte e a torcer pras coisas ficarem melhores algum dia.
 
ACREDITAR QUE SÓ VAI SER FELIZ DEPOIS DE ALGO ACONTECER
Você não precisa de um namorado pra começar a ser feliz. Nem precisa ficar magra pra isso. Nem de plástica, silicone ou qualquer outra mudança, objeto ou sei lá… Escrevi um texto chamado Não são seus olhos, mas o seu olhar que trata de autoestima e tem bastante a ver com este item.
ACREDITAR QUE SUA OPINIÃO É INDISPENSÁVEL PARA O MUNDO
Não é! E nessa de achar que nossa opinião é mega importante a gente compra briga que não precisa, entra em discussões sem fim e magoa as pessoas à nossa volta. O assunto te diz respeito? Alguém pediu sua opinião? Sua opinião pode acrescentar um ponto de vista que seja importante e que ninguém apresentou ainda? Se a resposta for não, guarda pra você.
ACREDITAR QUE AS COISAS PRECISAM ACONTECER NO MOMENTO QUE A GENTE QUER
Rola muita ansiedade da gente por quase tudo. Não temos paciência pra quase nada e precisamos ter. Queremos resultados imediatos, respostas imediatas e estamos sempre apreensivos, tensos e nervosos. É fácil? Não. O mundo tá acelerado, as relações estão aceleradas e a gente não quer esperar por nada. Mas ainda é muito importante exercitar a paciência, fazer a nossa parte e deixar as coisas acontecerem a seu tempo.
ACREDITAR QUE O ANO NÃO PODE SER BOM PORQUE COISAS RUINS ACONTECERAM
A gente está no segundo mês deste ano e já vi uma galera desistir porque as primeiras semanas não foram lá essas coisas. Trago verdades: não vai ser perfeito nunca. A vida é isso aí. Altos e baixos, momentos bons e ruins, alegrias e tristezas. É meio bizarro precisar falar isso, porque é uma coisa que todo mundo sabe, mas que na prática a gente acaba esquecendo.
O que mais você acrescentaria nessa lista?
Conta pra mim nos comentários! ♡

• • •
Follow Me:
YouTube | Instagram | Spotify

Deixe seu comentário